LOGÍSTICA

BENCHMARKING E LOGÍSTICA

 

Na realidade em que vivemos hoje, empresas não podem se dar o luxo de ficar na zona de conforto, caso contrário, correm o sério risco de serem superadas pela alta concorrência e perder muitos clientes. Por isso, é preciso inovar e buscar formas de investir em melhorias contínuas.

As operações logísticas são extremamente estratégicas em uma empresa e têm grande capacidade de agregar valor aos produtos e serviços. Sendo assim, operações otimizadas e a adoção de boas práticas são medidas essenciais para manter a excelência.

Contudo, nesse cenário, como saber se as etapas de produção da cadeia de distribuição são de fato eficientes? Os custos logísticos estão adequados ou existe mais espaço para economias inteligentes? Minha empresa de fato oferece os melhores serviços em logística?

Em busca de respostas para esses questionamentos, gestores de empresas de vários segmentos encontraram no benchmarking uma forma de analisar e descobrir os segredos do mercado para ter mais eficiência.

 BENCHMARKING: ENTENDA O CONCEITO

O benchmarking é uma metodologia de análise na qual uma empresa avalia seus processos de gestão e mede sua eficácia principalmente com base nos métodos da concorrência.

Ou seja, nessa prática, é realizada uma comparação das atividades de um negócio usando como parâmetro as ações feitas por outras instituições que estão inseridas no mesmo segmento de mercado.

Preferencialmente, são escolhidas organizações que se tornaram referência em um nicho, que obtêm a maior fatia do mercado ou que são competidoras diretas.

É importante ressaltar que o propósito do benchmarking não é copiar as ideias da concorrência, mas sim observar o que está sendo feito e, a partir disso, elaborar formas de exceder o trabalho e as estratégias do competidor.

Para tal, o benchmarking propõe um processo de comparações entre atividades afins que acontecem em uma empresa e em seus concorrentes. A partir do resultado dessa análise, diversas ideias para melhorias e ajustes surgem.

Dessa maneira, esse método estimula a inovação e oferece suporte necessário para que empresas possam realizar grandes transições.

VEJA COMO APLICAR ESSE MÉTODO À LOGÍSTICA

A eficiência de um processo de benchmarking não se mede apenas por meio da observação de concorrentes. Para ter sucesso com essa estratégia, o recomendado é seguir estas etapas:

  1. INVESTIGAÇÃO INTERNA

Nesse primeiro estágio, a empresa deve examinar suas operações e identificar quais processos gostaria de melhorar e quais são as prioridades e urgências.

Em suma, é importante realizar um mapeamento de todos os pontos mais críticos da cadeia de distribuição e aspectos internos que estão gerando resultados desfavoráveis. Eleja atividades que merecem atenção da sua empresa como:

  1. LEVANTAMENTO DE DADOS EXTERNOS

Dependendo dos objetivos da empresa, um grupo de concorrentes é selecionado. A partir desse ponto, é necessário coletar dados relevantes das instituições escolhidas.

A coleta de dados pode ser feita de diversas formas: por meio de entrevistas, conversas com fornecedores e clientes em comum, ou até mesmo por meio da investigação do site e das redes sociais do competidor.

  1. ANÁLISE DOS DADOS COLETADOS

Após a coleta de dados, esse é o momento de avaliar as informações coletadas. Conforme falamos anteriormente, o benchmarking não visa copiar literalmente as práticas dos concorrentes.

Caso a empresa pesquisou sobre as tecnologias adotadas pela concorrência e deseja investir mais em inovação, ela deve refletir, por exemplo, sobre:

  • Quais foram os softwares adotados pela concorrência e qual foi o impacto dessa implementação no faturamento e na imagem da empresa?
  • Essas soluções são pagas ou gratuitas? Caso sejam pagas, quais são as melhores versões para o meu negócio e para meu orçamento?
  • Quais sistemas são de fato essenciais para otimizar a logística?
  • A concorrência precisou contratar mais funcionários para operar esses sistemas?

Outro insight que o benchmarking pode proporcionar é poder identificar se sua empresa gasta mais tempo e dinheiro com processos logísticos, pagamento de ferramentas ou aluguéis do que a concorrência. Ao observar disparidades nos valores, você pode descobrir novas formas de reduzir custos.

  1. ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE METAS

Depois de levantar tantas comparações, é natural que chegue o momento de traçar um plano de ação que inclua as mudanças e melhorias que serão incorporadas na empresa.

Como no exemplo anterior, se uma meta é inovar em logística, o plano de ação deve ser entrar em contato com empresas especializadas e levantar as opções de software. Enquanto isso, o setor financeiro deve estudar como viabilizar economicamente a compra de licenças.

  1. ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO

Um princípio importante do benchmarking é o foco na melhoria contínua. O objetivo é se inspirar nos competidores para alcançar a excelência e superar suas estratégias.

Portanto, a implementação do plano de ação deve ser monitorada, revisada e avaliada constantemente para garantir que as decisões tomadas estão funcionando para a empresa, agregando valor e gerando bons frutos.

CONHEÇA ALGUNS DOS BENEFÍCIOS DO BENCHMARKING NA LOGÍSTICA

Para a logística, essa prática pode promover ideias valiosas que farão toda a diferença no melhor atendimento aos clientes.

Entre os muitos benefícios que o benchmarking pode proporcionar para a cadeia de distribuição, destacamos:

  • Criação de uma rotina de operações e elaboração de processos pautados na melhoria contínua;
  • Redução de erros, retrabalho, perdas e desperdícios, que tem como consequência a otimização de custos, recursos, materiais e tempo;
  • Aumento da produtividade por meio da implementação de processos mais enxutos e eficazes;
  • Incorporação na cadeia produtiva das melhores práticas do mercado, contribuindo para que a empresa se torne um referencial.

Como vimos o benchmarking aplicado à logística é uma forma eficiente de aperfeiçoar e modernizar processos e adotar práticas que têm como garantia o sucesso.

Favorita.com.br