TRANSPORTES

FRETE VALOR: ENTENDA O QUE É!

Quem trabalha no segmento do transporte de cargas sabe que esse tipo de movimentação está constantemente sujeito a riscos. Os fatores que ameaçam a distribuição de mercadorias quase sempre causam perdas e prejuízos que, dependendo do seu tamanho, podem quebrar uma empresa.

Por isso, existem recursos como seguros de carga e cobrança de taxas — como a taxa EMEX — que servem para amenizar danos e impedir que instituições tenham seu faturamento e lucros comprometidos por despesas não previstas. Um exemplo disso é o frete valor, também conhecido como Ad Valorem.

O frete valor tem, então, a função de cobrir danos que uma transportadora pode sofrer durante a distribuição de mercadorias. Seu cálculo envolve diversas variáveis, portanto, se você deseja incluir essa taxa corretamente no preço final apresentado ao cliente, precisa se informar e entender profundamente quais são os riscos envolvidos no transporte de carga.

 AFINAL, O QUE É FRETE VALOR?

Em território nacional, transportadoras que são devidamente cadastradas no Registro Nacional de Transportes Rodoviários de Carga (RNTRC) têm a obrigação de adotar o RCTR-C, que é o seguro de responsabilidade civil do transportador rodoviário de carga e podem também incluir ao RCTR-C o seguro responsabilidade civil facultativa.

Esses dois elementos citados ajudam a compor o valor do frete final que será passado para o cliente. Além desses, existem também o GRIS — referente ao Gerenciamento de Riscos — e outras taxas administrativas.

A soma do seguro é aplicada sobre o valor da mercadoria que será transportada, e esses números são indicados nas apólices pela seguradora contratada. A transportadora pode escolher repassar esses custos para o cliente, contudo, é proibida de cobrar uma quantia que exceda aquela que foi determinada pela seguradora. A arrecadação de um valor superior ao que será pago à seguradora é ilegal.

Assim, em geral, as transportadoras denominam essas despesas com relação aos seguros como frete valor, ou seja, esse conceito está relacionado às cobranças adicionais com seguros e taxas.

No contrato, o transportador deve destacar para o cliente quais são as despesas relacionadas ao seguro— que serão transferidas para as seguradoras — e as demais cobranças, de modo que o consumidor entenda perfeitamente pelo que está pagando.

COMO O FRETE VALOR É COMPOSTO?

No transporte rodoviário de cargas, o compromisso com a integridade dos produtos carregados recai totalmente sobre a transportadora ou empresa responsável pela remessa. Logo, qualquer tipo de situação que possa acontecer durante o trajeto é um problema que o emissor terá que contornar.

Por essa razão, para não sofrer com prejuízos e custos extras, empresas precisam se resguardar de alguma forma. E é nesse cenário que entram as cobranças adicionais que compõem o frete valor, que basicamente é formado por:

  • RCTR-C: é um seguro obrigatório que cobre danos ou perdascausados por acidentes durante o transporte;
  • RCF-DC: é facultativo e, apesar de aumentar o preço do frete valor, reforça a proteção da transportadora, já que ele resguarda a empresa em casos de roubos ou desvio de mercadorias.
  • GRIS: para contratar o seguro de roubo em uma seguradora, o RCF-DC, é necessário ter o GRIS, que reforça a proteção da carga e evita ao máximo casos de roubos.

Além desses principais elementos citados, a transportadora pode incluir no frete valor gastos com mão de obra, equipamentos de segurança, indenizações, entre outros custos relacionados a gestão de riscos.

Em suma, é embutido no frete valor absolutamente todas as despesas das iniciativas de segurança adotadas pela empresa para o transporte das mercadorias.

O CÁLCULO DO FRETE VALOR

O frete valor é calculado sobre o preço de nota da carga ou frete mínimo, com base em um percentual estabelecido na tabela de frete.

Uma empresa que transporta produtos e equipamentos hospitalares que valem R$ 1 milhão precisa orçar os riscos dessa movimentação de modo proporcional à cotação dessas mercadorias para não sofrer enormes prejuízos.

Enquanto isso, outra transportadora pode carregar mercadorias com o mesmo peso e pela mesma distância que a anterior, porém, somados os itens não chegam a 1% do valor dos materiais descritos acima. Por essa razão, o frete valor é determinado com base no preço em nota fiscal dos artigos.

Além disso, são aplicadas outras taxas que variam de acordo com as seguintes regras:

  • distância percorrida: quanto mais longo for o trajeto, maiores são os riscos aos quais a carga estará submetida;
  • peso e volume: entende-se que quanto mais pesado e volumoso for um produto, maior será a dificuldade de ele ser roubado. Logo, itens menores e mais leves podem elevar a tarifa a ser cobrada;
  • características da região ou do trajeto: nesse ponto, analisa-se o índice de roubos e assaltos em uma determinada região, bem como a condição do asfalto. Esses fatores contribuem para aumento de riscos de danos à carga e podem resultar em um frete valor maior;
  • manuseio: se uma mercadoria demanda muitosprocessos de manuseio e cuidados, ela tem mais chances de sofrer avarias ao longo do caminho.

Associação Nacional de Transporte de Carga (NTC) criou uma tabela de referências para a composição da cobrança do frete valor. Nela são sugeridas também alíquotas baseadas no fator de distância percorrida.

É importante ressaltar que as taxas são sugestões, o que significa que sua empresa não precisa segui-las se não desejar.

O frete valor tem a função de cobrir integralmente dos riscos da movimentação de uma carga desde um ponto de partida até seu destino. Portanto, cada negócio deve considerar esses custos de uma forma que seja mais estratégica para a empresa, levando em conta a natureza e particularidades dos produtos os quais transporta.

Como vimos, o frete valor é um componente essencial que tem o fim de cobrir os riscos inerentes à atividade do transporte de mercadorias. Logo, é fundamental que ele seja aplicado corretamente para proteger a empresa e garantir a integridade dos seus serviços.

 

Favorita.com.br