LOGÍSTICA

LOGÍSTICA 4.0

 

Não faz muito tempo, ouvíamos nas mídias termos como a “versão 2.0” — e posteriormente até mesmo a 3.0 — de processos, máquinas, metodologias, entre muitas outras coisas.

De fato, o modo como pessoas e empresas realizam diversas atividades passou por — e continua sofrendo — constantes modernizações. Essas atualizações impactam fortemente a vida em sociedade e o estilo de vida dos indivíduos, bem como a economia e o mercado.

Atualmente, fala-se muito sobre assuntos como Big Data, Internet das Coisas e diferentes inovações e como esses elementos moldam um novo jeito de gerenciar negócios e, sobretudo, a logística.

Nesse contexto, surge o conceito de logística 4.0, um modelo que é produto da revolução tecnológica e que incorpora em suas operações as tendências e fenômenos que surgem a cada dia no mundo moderno.

QUAL É A PROPOSTA DA LOGÍSTICA 4.0?

 No século XVIII, a Revolução Industrial, na Inglaterra, marcou o início da mecanização de processos nas indústrias. A adoção em larga escala de máquinas e equipamentos a vapor permitiu uma rápida expansão de negócios e fabricação de bens de consumo.

Posteriormente, nos séculos XIX e XX, o aperfeiçoamento das técnicas de manufatura provocaram novas revoluções industriais. Assim, a indústria 2.0 e a 3.0 viabilizaram transformações como, respectivamente, a implementação de linhas de produção — o que possibilitou a produção em massa — e a incorporação de computadores, robótica, softwares e outros dispositivos digitais nos processos.

Nesse caminho, em pleno século XXI, a realidade é a indústria 4.0, que fala sobre a automatização total das atividades em fábricas e empresas por meio de sistemas cibernéticos ultra inteligentes.

Graças a recursos como o Cloud Computing (computação na nuvem), a Internet das Coisas e outras inovações, hoje é possível colocar em prática modelos de produção superavançados e dar um verdadeiro upgrade nas operações fabris comuns.

O IMPACTO NA LOGÍSTICA

Investir pesado na tecnologia e potencializar resultados com o uso de recursos como a análise de dados e sistemas inteligentes — que tem a capacidade de auto-otimização e autoconfiguração — são práticas essenciais da logística 4.0, e indispensáveis para empresas que desejam sair na frente da concorrência.

A logística 4.0 é ultraconectada, rápida, tecnológica e otimizada. Para tal, é necessário promover uma mudança na cultura corporativa e apostar na integração: a inclinação no momento é a adoção de sensores e programas que interliguem máquinas, pessoas, redes, entre outros elementos da cadeia de suprimentos, formando um fluxo operacional autônomo e eficiente.

Vale sublinhar que a logística 4.0 e seus impactos não são uma tendência futura, mas sim uma realidade. Para conseguir maximizar resultados, atingir a alta performance e elevar um negócio a níveis globais, esse processo de transformação e inovação é imprescindível.

O QUE FAZ PARTE DA LOGÍSTICA 4.0?

 Modelos tradicionais de logística operam, em diversas vezes, com grandes estoques e centros de distribuição obsoletos e desconectados. Como consequência, empresas que trabalham dessa maneira experimentam problemas com erros, grandes perdas e desperdícios, o que também acomete o faturamento do negócio.

Na logística 4.0, o foco é total na estratégia de negócio. O objetivo é modernizar e otimizar a gestão da cadeia de distribuição, eliminar desperdícios e gargalos, ganhar tempo e reduzir custos da melhor maneira possível.

Para isso, é preciso contar com a alta conectividade, por meio de softwares que monitorem com precisão todos os processos e atividades da empresa. As informações devem estar ao alcance de um clique e constantemente atualizadas.

Devido a adventos como a Internet das Coisas, os centros de distribuição podem funcionar com mais eficácia, já que milhares de embarques, transportes e acondicionamentos acontecendo em locais distintos podem ser acompanhados e integrados em tempo real. Assim sendo, outras características importantes da logística 4.0 que podemos destacar são:

  • Gestão virtual de estoques e armazéns;
  • Uso de sistemas que permitem o rastreamento e monitoramentoda frota;
  • Roteirização dos trajetosa fim de otimizar entregas e encurtar prazos;
  • Lead time reduzido;
  • Estoques enxutos;
  • Visão completa e integrada da cadeia de suprimentos.

BENEFÍCIOS DESSE MODELO

A logística 4.0 preza por processos mais modernos e integrados, bem como pela otimização do compartilhamento de dados, recursos e elementos fundamentais para o funcionamento eficiente da cadeia de suprimentos.

Sistemas hospedados na nuvem podem ser acessados de qualquer lugar e visualizados simultaneamente por vários colaboradores, o que contribui para reforçar e disseminar o conhecimento.

Como podemos ver, a logística 4.0 é capaz de tornar um negócio muito mais competitivo e produtivo.

A logística é o elo fundamental que liga a indústria aos clientes. Logo, se o mundo está em constante transformação e atualização, é de se esperar que a cadeia de suprimentos siga esse mesmo trajeto.

Assim, vimos que a logística 4.0 é ágil, supereficiente, informativa e conectada. Sua missão é oferecer não somente entregas rápidas e de qualidade, com ausência de problemas e erros, mas sim oferecer uma experiência singular e inovadora para os clientes.