LOGÍSTICA

DICAS PARA REDUZIR O VOLUME DE DEVOLUÇÃO DE MERCADORIAS

A troca de produtos é uma prática comum no dia a dia de empresas que atuam com entregas. Além de diversos contratempos, receber a mercadoria de volta à central de distribuição também pode gerar prejuízos para as empresas. Pensando nisso, separamos algumas dicas para diminuir a taxa de devolução de mercadorias dentro de sua empresa.

A troca ou devolução de mercadorias é um direito do consumidor, garantido pelo código de defesa, tenha o produto apresentado defeito ou não, cabendo em alguns casos o direito de arrependimento do cliente. Munido de um documento fiscal, de preferência a nota fiscal de compra, o cliente pode solicitar a troca do produto adquirido.

Sabendo da importância desse serviço dentro da empresa, neste post, juntamos dicas que podem ajudá-lo a melhorar a logística reversa dos produtos recebidos e, nesses casos, reduzir o volume de devolução.

Em outros textos deste blog, abordamos a importância da visibilidade no controle de entregas e como a tecnologia pode ajudar na comunicação entre central e equipe de operações.

Este é outro item que pode trazer melhorias na otimização da logística de sua empresa e também na redução de gastos desnecessários. Com esses quatro itens no seu checklist, esperamos que você consiga reverter devoluções e evitar prejuízos.

1. Conferir o pedido antes da saída da frota

De maneira alguma permita que a frota saia carregada com a quantidade errada de produtos, ou mesmo com os produtos trocados. Essas ações são princípios básicos quelevam o cliente a devolver a mercadoria. Para isso, mantenha sempre organizado os pedidos e as notas fiscais.

Lembre-se que o retorno do produto gera uma nota fiscal de devolução e, por isso, o acompanhamento e a organização constante dos pedidos deve ser feito de maneira a deixar a equipe de entrega sempre a par do que e para onde, exatamente, os produtos devem ser direcionados.

Para integrar todas essas informações, gestores têm apostado em soluções tecnológicas específicas às suas demandas e que sejam capazes de integrar os processos de toda a estrutura do negócio. Facilitando ações como, por exemplo, a comunicação entre motorista e central ou também o acompanhamento de rotas.

2. Evitar atrasos

Atrasos na entrega vêm carregados de prejuízos. Quando o produto é perecível, a perda pode ser ainda maior. Com o tempo de entrega maior que o previsto, o prazo para o vencimento do produto diminui, ou em alguns casos, expira. Alguns imprevistos são facilmente evitados com auxílio da tecnologia.

Um aparelho de GPS pode orientar o motorista para que não se perca ou desvie da rota. Também existem aplicativos mobile que mostram a situação do trânsito em tempo real. Mesmo que ocorra algum imprevisto, o compromisso com o cliente é necessário e precisa ser respeitado. Para isso, a equipe de entrega deve comunicar a central do que está acontecendo.

Há soluções no mercado que permitem esses apontamentos de forma digital. A central recebe as informações da equipe constantemente e pode informar o cliente o motivo do atraso. Esse diálogo evita que o cliente sinta-se esquecido ou enganado e ajuda a reduzir o volume de devolução.

Além disso, também os sistemas também podem fazer o acompanhamento ser mais ágil e eficaz, prevenindo com antecedência contratempos nas rotas de entrega.

3. Monitore suas entregas e devoluções

Saber em tempo real quando uma devolução ocorre, seja por um produto com defeito ou não, é fundamental para conseguir revertê-la antes da saída da equipe de entregas do local. Ou seja, o monitoramento permite que soluções sejam tomadas para que a empresa não precise receber a mercadoria novamente.

Este monitoramento pode ser efetuado de diversas maneiras. Quando é feito de forma manual, o motorista liga para a equipe de monitoramento e informa a devolução. Já de maneira digital, o motorista informa a central de monitoramento por meio de um software de gestão.

Neste caso, a ferramenta emite um alerta em tempo real quando uma devolução está ocorrendo, tornando a ação da equipe de monitoramento mais rápida. Isso pode evitar perdas e reduzir o volume de devolução.

4. Negociar com o cliente

Negociar e entrar em acordo entre as partes ainda é a melhor maneira de evitar devoluções. Vamos supor que alguns produtos de um lote de entrega sofreram avarias durante o trajeto. No lugar de devolver todo o pedido, a central pode negociar com o cliente para que ele aceite os que estão em perfeitas condições e oferecer um desconto referente aos devolvidos no próximo pedido.

Todos os preceitos que envolvem o ato devolutivo precisam estar evidenciados em uma política de trocas coesa e clara, para que o cliente possa ter noção de seus direitos  também conhecer as condutas da empresa.

Com uma comunicação efetiva e decisões táticas e rápidas é possível não somente reverter a devolução como também tornar o processo mais eficaz. O diálogo entre equipe de entrega e central precisa de suporte tecnológico para que seja, de fato, eficiente.

www.favorita.com.br